EnglishPortugueseSpanish

COMO ESCOLHER UMA PLATAFORMA ELEVATÓRIA?

Há diversos modelos de plataformas elevatórias. Comece por identificar a configuração mais adequada ao uso previsto e depois, dentro dessa categoria, um modelo com as dimensões e a capacidade de carga necessárias. Estes são os critérios a considerar:

  • Local de trabalho: trata‑se do ambiente em que a plataforma elevatória irá operar. A escolha do tipo de plataforma irá depender se pretende um equipamento para trabalhos no exterior ou no interior de edifícios. Deve ainda ter em conta o tipo de piso ou terreno em que será utilizada (regular, estável, lamacento, solo solto, etc).

  • Altura de trabalho: é o critério mais importante e também o mais fácil de definir, pois corresponde à altura a alcançar para realizar as intervenções. Este critério influencia diretamente a escolha do tipo de mecanismo de elevação ou do modelo a selecionar dentro de uma categoria de plataformas.

  • Alcance lateral: o alcance lateral corresponde à possibilidade de movimentar a plataforma na horizontal em relação à base. As plataformas aéreas do tipo tesoura não oferecem alcance lateral, ou seja, apenas podem subir e descer, contrariamente às plataformas articuladas e às telescópicas, que podem ser movimentadas na horizontal, permitindo alcançar pontos elevados de difícil acesso. Estas duas últimas configurações são particularmente úteis para contornar obstáculos, como ramos ou fios elétricos, ou quando não for possível posicionar o veículo (a base da plataforma) exatamente por baixo da zona a intervencionar.
  • Capacidade de carga: é determinada pelo número de trabalhadores e pelo peso do material que a plataforma deverá elevar.

  • Locomoção: existem diferentes opções quanto à locomoção das plataformas. A escolha deverá levar em consideração as características do espaço em que as plataformas se irão movimentar e a frequência das deslocações durante uma intervenção. As plataformas automotrizes, também ditas plataformas autopropelidas, facilitam as deslocações necessárias no decorrer de uma intervenção. As versões com rodas são mais adequadas para trabalhos em espaços interiores, enquanto as de rastos, também chamadas plataformas de lagartas ou de esteiras, são as mais indicadas para uso em espaços exteriores. As plataformas elevatórias rebocáveis são mais simples e o seu preço é mais acessível, mas será necessário um veículo trator para as deslocar. As plataformas montadas em veículos são maioritariamente utilizadas para trabalhos na via pública.

  • Dimensões: há que ter em conta as dimensões da plataforma para evitar problemas durante a sua utilização. As plataformas com mastro vertical são as mais compactas e, portanto, mais adequadas para trabalhos em áreas de difícil acesso e em espaços exíguos.

Tipos de Plataforma Elevatória:

  • Plataforma Telescópica:

    Consiste numa plataforma montada num braço telescópico que permite a elevação em linha reta. Em comparação com os outros tipos de plataformas elevatórias, as plataformas telescópicas oferecem maior alcance tanto na horizontal como na vertical. Alguns modelos possuem, ainda, um braço pendular, que facilita a aproximação à zona de trabalho em vários ângulos, nomeadamente quando não é possível colocar a base da plataforma diretamente por baixo da zona onde deverá decorrer a intervenção. As plataformas telescópicas podem atingir alturas de trabalho até 55 metros.

  • Plataforma tipo tesoura:

    Também designada plataforma elevatória pantográfica, consiste numa plataforma que sobe e desce graças a um mecanismo dito de tesoura, ou seja, um sistema hidráulico de estruturas cruzadas unidas entre si. A plataforma do tipo tesoura tem uma capacidade de elevação de cargas até 1 000 kg, bastante superior, portanto, à dos outros tipos de plataformas, que é em média de 200 kg. As plataformas do tipo tesoura podem atingir alturas de trabalho até 20 metros.

QUANDO USAR UMA PLATAFORMA ELEVATÓRIA HIDRÁULICA?

Algumas atividades industriais têm, dentro de suas particularidades, a orientação para a utilização de uma plataforma elevatória hidráulica.

Abaixo relacionamos alguns exemplos:

  • Controle de Qualidade: áreas de pintura necessitam que o colaborador se coloque em diversas alturas diferentes para avaliar a qualidade do acabamento da cobertura;
  • Montagem: quando o colaborador precisa se posicionar sobre uma plataforma para fixação e/ou montagem de partes de um equipamento, sem afetar sua condição ergonômica.

Importante ressaltar que a plataforma elevatória hidráulica Dgrande atende a todas as normas técnicas relevantes, como ABNT, ASTM, NR-10, NR-12, entre outras.

Solicite maiores informações através do [email protected]